terça-feira, 29 de março de 2016

INCONVENIENTES PERDEDORES


O atual BBB indica uma situação jamais vista: qualquer um que ganhar, ainda assim não deixará de estar revestido da condição de perdedor porque não tem a característica de vestir o manto do BBB e nele se encontrar, se revelar. Isso apenas mostra a que ponto chegou o programa e os erros grosseiros praticados por quem comanda tudo isso, permitindo e fazendo com que os resultados excluíssem aqueles que poderiam e deveriam ser finalistas.

Aos admiradores de Dona Geralda fica apenas uma constatação fácil e que não é preciso ir longe para ver que a senhora deveria estar mais encaixada num reality da Rede TV ou de uma emissora de pouca audiência. Não tem espírito de BBB, não se encaixa em nada e gosta de tirar onda e reprimir aqueles com quem não se dá bem. Está precisando levar um passa fora faz tempo. A velha foi taxada por muitos como autêntica, mas de acordo com sua conveniência. Em qualquer BBB teria sido posta para fora pelo público.

Não quero fazer análises individuais pois assistí pouco e do que ví deixou claro que só mesmo a Cacau se livra em qualquer análise isenta. Os demais são o exemplo claro do que não se deve ser num BBB. Porém na mesma classificação estão os condutores do programa, o que equivale dizer que só fazem afundar cada vez mais algo que já foi um ícone na programação da TV brasileira.

O atual BBB para mim é o repositório de tudo que já venho falando faz muito tempo. Estragaram tudo com as manipulações desavergonhadas na busca alucinada por audiência. Foram inúmeras as oportunidades em que eu e outros blogueiros da antiga denunciamos que a falta de um  meio para se averiguar a lisura das votações, trazia o descrédito pelo inusitado de resultados que eram flagrantemente contrários ao que o público manifestava. Os quatro finalistas atuais são o exemplo claro do que jamais deveria acontecer num BBB. Parece até piada!

O BBB parece seguir no mesmo patamar do governo atual, que se mantém ao arrepio do que deseja a população brasileira. Esta analogia pode parecer fora de propósito mas não é.

Ronan e Geralda parecem ditadores dentro do BBB. Pensam encarnar com suas atitudes a vontade do povo e nunca foi isso que o público que assiste BBB quis. Os dois estariam bem mais compostos ao participar de qualquer atração da TV que não passasse de 1 ponto de audiência no IBOPE, mas são apresentados com garbo como arautos da verdade absoluta que predomina entre os condutores da atração.

BBB piada, BBB falido, BBB da Geralda e Ronan joga em tantos outros participantes que se consagraram no programa a infinita mágoa de serem rotulados em pé de igualdade com quem não tem representatividade para estar na fase final, porque não apresentaram ao longo do programa as condições naturais e normais para isso.

São inconvenientes porque são chatos, convencidos e mesmo ganhando não se livrarão do estigma dos perdedores, Vão sumir imediatamente, porque a fama que podem alcançar não passará de 1 minuto!

sábado, 5 de março de 2016

ANA SAI E GLOBO SOFRE


Eu juro que não queria mais comentar BBB. No entanto, esse episódio que culminou com a saída da participante Ana Paula apenas prova que é preciso colocar limites nas pessoas. Mas o que é mais importante é que isso aconteça na criação, nunca deixando que comportamentos exacerbados atinjam a idade adulta por puro protecionismo ou “amor demais” por parte dos pais.

Aliás “amor demais” é um tema digno de estudos e que deveria ser alvo de tratados porque não só no BBB podemos constatar inúmeras pessoas que tiveram esse tratamento. Isso se generaliza em todos os setores da vida, onde encontramos pessoas que se acham maiorais, poderosas, sem limites, mas que acabam se prejudicando por esse comportamento que é fruto de uma liberdade exacerbada.

Do pouco que assistí na TV aberta, até porque pela primeira vez não comprei o PPV, pude entender que Ana era a alavanca da KGB para a audiência. Era ela que movia o programa com suas posições bem parecidas com a Tina, batedora de panelas de um BBB que ficou no passado e cuja passagem ficou marcada.

Não interessava que Ana saísse porque o BBB girava em torno dela. Sua capacidade de movimentar a todos era peculiar. Tudo girou em torno dela e agora o desfalque joga o programa no limbo. E o mais engraçado é que ela mesma já havia demonstrado sua inaptidão e sua vontade de se retirar, mas foi “convencida" a permanecer porque ninguém joga fora em TV o que puxa audiência.

Cai o BBB agora na mesmice de sempre, deixando aos cuidados de Ronan a possibilidade de alguma movimentação, até porque vão se voltar contra ele seguramente, para eliminar aquilo que resta do jogo que Ana criou e levou até as últimas consequências, do qual ele foi aliado e estimulador.

Ficou evidente para mim que a manipulação de resultados ainda é um dado bastante claro, até porque o último paredão deixava clara a saída de Ana, mas ninguém ia deixar barato a saída da mola que fazia a propulsão do programa.

Assistir BBB agora, só mesmo nesses lampejos porque nada mudou e até piorou em termos de intervencionismo da direção e produção. A KGB não tem emenda, não se preocupa com nada além do que pode fazer as pessoas assistirem ao espetáculo que montam e embalam.


Sai a Ana e com ela (Olha ela!…) vão as esperanças da Globo em ver o BBB ressuscitado. Vão ter que se desdobrar para criar situações que motivem o público a participar, votar e discutir, enquanto aqui fora ela vai ser alvo da mídia para embalar seu ego. Só que aqui fora é bem diferente e o bicho pega!

domingo, 17 de janeiro de 2016

E A LOUCURA VAI COMEÇAR NOVAMENTE


Isso mesmo, loucura, porque depois do que vimos nas últimas edições pouco sobrou do espírito que norteou o início do que chamamos de BBB. Mudou tudo, inclusive no que diz respeito a performance dos participantes. Hoje o que assistimos é um festival de perseguições, de desapreço total ao ser humano e uma busca que não diz respeito ao prêmio final.

Ganhar o BBB já não parece ser o objetivo de quem consegue chegar ao programa. As pessoas querem apenas aqueles 10 minutos de fama e com isso parecem ficar satisfeitas. Não existe estratégia, não há conhecimento nenhum das regras e muitos chegam ali sem jamais terem assistido a qualquer edição do programa.

Confesso que perdí muito do entusiasmo que tinha. Não me considero mais alguém que acompanhe o programa com a atenção de antes porque tanto a direção e produção, como os próprios escolhidos também parecem levar o programa na flauta, sem maiores compromissos com o que vai ao ar.
No entanto, mais uma vez torço para que o espírito inicial seja resgatado. Gostaria que houvessem mudanças capazes de resgatar o público, a audiência que já foi a maior da TV.

Pois aí está o BBB16 e a loucura já está no ar. Vamos ver o que vai acontecer. Tomara que decole!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

PERDENDO A MÃO NO BBB


A novela BBB continua em franco progresso e vai revelando as facetas que a direção espera todos os dias, sempre girando em torno da movimentação de casais, da fraqueza de seres humanos apresentados inicialmente como muito bem dotados de intelecto e que em pouquíssimo tempo vão se revelando mais frágeis que crianças. O jogo BBB ficou para trás faz muito tempo. Hoje há uma salada mal preparada em que se adicionam ingredientes intragáveis.

Foi-se o tempo de grupos, de divisões e assistimos a rede de intrigas sendo formada com infantilidade, porém sendo levada extremamente a sério. O engraçado é que ninguém se julga pretendente efetivo a ganhar o prêmio final. Isso hoje em dia parece ir meio no balanço da maré. É como se cada um alí estivesse dizendo para sí mesmo “se vier tudo bem, do contrário foda-se!”.

Ciúme de uma semana, traição de uma semana, entregação de uma semana, sacanagem de uma semana e parece que já estamos na fase final. A cultura de BBB se difundiu com valores altamente discutíveis e lá dentro o que se assiste é um festival engajamento a conceitos que são incutidos na mente dos participantes com poucas instruções que passam na direção e produção.

Infelizmente não há quem esteja disposto a discutir normas, orientações porque o conceito da novela é o que vale e assim cria-se o estímulo prévio a formação de casais, ao sexo encoberto por edredons, como se o público aqui fora não tivesse direito a querer assistir a um jogo como já aconteceu anteriormente.

Não estou daqui me posicionando contrariamente ao comportamento libertário de ninguém, porém o caminho, o trajeto do BBB poderia sim passar por tudo isso, mas privilegiar conceitos que o público aplaudiu no passado e que hoje não recebem nenhum estímulo. Isso contribui para deteriorar, provocando a queda de audiência e o desinteresse porque estão apostando mais uma vez em horizontes sombrios.

Uma mulher chorosa, um casal fazendo sexo escondido, outro querendo fazer e tomando coragem, um intelectual de voz surreal e que não se acha no enredo, uma semi-idosa influenciável e perdida, um motoboy convencido e um ex-militar que serviu a uma força e nada aprendeu, além de outros marionetes, são o rescaldo duvidoso dessa salada que ninguém está digerindo.

Pior ainda é saber que os que lá estão a esta altura, imaginam-se como figuras já abençoadas pela fama e que vão sair em algum momento para gozar das delícias de uma nova vida repleta de benefícios, que jamais pensaram alcançar.

Poderão me chamar de pessimista e agente do caos do BBB. Confesso que o que tenho visto me surpreende pela precariedade e falta de objetividade no que devia ser principal: buscar o prêmio. A busca atual parece ser por desavenças para ver quem é mais forte para enfrentá-las. O próprio discurso do Bial ontem estimulou isso quando taxou opositores como inimigos. Me convenço que todos perderam a mão e fico esperando que todos possam se reencontrar. Caso contrário, estará decretado o fim do BBB.

domingo, 25 de janeiro de 2015

BBB DECOLA OU NÃO?


Como era previsível, não cosigo mesmo me deter com o atual BBB mais do que 10 minutos. No entanto, está na mesma proporção do interesse que vem despertando no público em geral. Resumo: não empolga como antes, não prende e a fórmula da novelinha é a salvação para qualquer um que esteja na direção.

Envolvimentos superficiais são a marca que vem criando alguma celeuma porque alguém foi deixado de lado em benefício de outrem. Intrigas, maledicências e grupos são hoje coisas que parecem não ter tanta importância porque o público que ainda assiste quer mesmo é ter um casal para ficar babando ad eternum.

Pelo pouco que vi uns dois ou três podem salvar isso tudo pelo critério mais ético. Nem precisam ganhar o prêmio, porém se mantiverem postura e desenvolvimento com autenticidade já será o suficiente para responderem por meia salvação do programa. O restante, me parece extraído dos recônditos de algum lugar em meio ao nada e quando terminar é para lá que vão voltar.

Posso estar errado porque a ciência do BBB é muito mais complexa do que possa parecer. Isso tudo também conduz a uma viagem duradoura em busca de algo que jamais será encontrado, mas que nos pode levar a conclusões incríveis quanto ao comportamento humano. Tudo isso as vezes me assusta porque saímos em busca de algo, sem saber o que é e acabamos encontrando o que nunca foi procurado.

O ser humano oferece essas conclusões com seu comportamento enigmático, estranho e surpreendente, mas nos dias que vivemos nada pode ser mais surpreendente que encontrarmos ética. Se alguém surge com esses princípios que são tão improváveis, já vale a pena o que pagamos para assistir algo tão surreal.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

ABRINDO OS TRABALHOS


Olá pessoal do BBB. Confesso que a descrença que o Boninho provocou nos antigos analistas do programa ainda paira sobre mim e por isso não tive a animação do passado para esta edição. Isso não significa que esteja desejando o fracasso de tudo. Ao contrário, o BBB me possibilitou muitas coisas e o principal foi conhecer milhares de pessoas incríveis que vieram parar aqui no blog e cuja amizade cultivo com enorme satisfação. Por isso ainda mantenho essa idéia de que é possível retornar a um tempo em que o BBB movimentava o Brasil e as ações lá desenvolvidas acabavam por conquistar um público enorme. Quem sabe isso não possa acontecer ainda.

Não vou me transformar no arauto do caos do BBB. Discordo de forma radical daqueles que taxam o programa como uma besteira, coisa de gente desmiolada. Se for assim, sou um desses bobalhões com muito orgulho e aprendi a entender melhor os seres humanos com boa parte das experiências que esse programa proporcionou.

Meu objetivo com o BBB nunca foi comercial. Jamais ganhei e não ganho um tostão por blogar sobre o assunto e sempre fui crítico feroz das escaramuças armadas pela direção e produção. Não será agora que vou poupar as possíveis armações que ver por aqui.

Ouvi muitos comentários sobre a simplicidade dos participantes e o fato de serem pessoas ditas comuns. Hoje rechearam a coisa com duas louras de estilo, talvez para dar um toque de glamour a algo que soava meio simplório demais. Diga-se de passagem que as duas poderiam ficar e algum dos que iniciaram poderia sair. KKKKKKKK

Não vou julgar ninguém porque hoje comecei a tentar acompanhar alguma coisa. Confesso que tenho estado muito atarefado em minha cidade com as denúncias de desvio de dinheiro público na Prefeitura e por dever profissional tenho que estar atento a tudo. Vivo numa cidade hoje considerada rica, porém estagnada e enfrentando uma das piores crises que já assistí na vida. É triste!…

Esse princípio é meio enfadonho mas as aproximações de hoje certamente serão revertidas em afastamento e o sorriso farto vai se transformar em grunhidos de raiva. O programa já começou com a tentativa de estabelecimento de grupos e a opressão pela escassez de alimentação volta a ser aposta da direção. Se isso realmente doer pode dar certo. Mas pode também unir alguns contrários. Enfim, tudo é possível e espero que acertem em algo e interfiram menos.

Não espero muito do BBB porque as lições erradas do Boninho estão presentes no imaginário, assim como os acertos. Isso não pode ser aceito como determinante. Se for não valerá a pena assistir e confesso que paro logo. Se houver um mínimo de mudança positiva, em respeito ao público que sempre veio ao blog, irei em frente o máximo possível.

O que desejo é sucesso aos participantes, mas muito mais ao público que assiste. Afinal não faço blog para participantes e sim para quem se dedica a acompanhar o programa, sofrendo muitas vezes por caminhos tortuosos que dão ao programa. Tomara que tenhamos mais sorte desta feita e possamos ver algo produtivo. Meu abraço a todos!  

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

AGRADECENDO E DESEJANDO FELICIDADES A TODOS


Eu vim aqui depois de tanto tempo, com o objetivo de demonstrar minha gratidão a um velho companheiro da net, o Thors e a sua mãe. Todo ano eles de longe enviam uma lembrança nessa época, feita pelas mãos habilidosas e abençoadas dela. Uma rosca de Natal que demonstra e sela o respeito mútuo e a amizade que temos.

Nesta ocasião fica aqui o registro de meus agradecimentos e de minha família a alguém com quem aprendi muito e cujas lutas são sempre as minhas também. Enfatizo que estaremos sempre juntos por dias melhores para todos!

Quero aproveitar para desejar a todos o melhor Natal do mundo, sob as bençãos divinas. Desejo saúde e prosperidade a todos aqueles que tem ideais do bem, que lutam e querem um mundo melhor.

Fica meu respeitoso cumprimento a tantos que dividiram comigo esse espaço, lendo, acompanhando, criticando, concordando ou não com este velho escriba.

Penso ainda se vamos continuar com o BBB, porém acho que sim. Será importante talvez para mostrar que nem tudo são flores ou que acharam a fórmula para reinventar um programa que em outras épocas movimentou tanto o Brasil. Espero que consigam. Meu abraço fraterno.